ANÁLISE OCEÂNICAS E PREVISÃO CLIMÁTICA PARA O PROXIMO TRIMESTRE - OUTUBRO/22

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES OCEÂNICAS.

Fig. 1. Anomalia da temperatura da superfície do mar entre 11/09/22 e 08/10/22. Fonte: https://www.esrl.noaa.gov/

As águas superficiais da faixa central e oeste do Oceano Pacífico continuam mais frias do que o normal, como mostram as áreas em azul dentro do retângulo preto na Figura 1, que representa a anomalia média da Temperatura da Superfície do Mar (TSM) entre o período de 11 de setembro e 08 de outubro.








ÚLTIMAS PROJEÇÕES INDICAM QUE A LA NIÑA DEVE COMEÇAR A PERDER FORÇA NO INÍCIO DE 2023.


Fig. 2. Previsão de consenso de fenômenos climáticos, dos institutos NOAA e IRI, atualizada em 13/10/2022.

A mais recente atualização dos centros norte americanos (13/10), CPC e IRI, continuam indicando a manutenção do fenômeno La Niña até o final deste ano de 2022.

De acordo com a Figura 2, a probabilidade de ocorrência de La Niña para o trimestre setembro-outubro-novembro é próximo de 100%, e ao longo dos trimestres subsequentes é observada uma diminuição gradativa, o que indica que o fenômeno deve persistir até a virada do ano, mas apresenta uma condição favorável para uma transição para neutralidade climática já a partir do trimestre fevereiro-março-abril de 2023.


A seguir vocês acompanham a previsão climática da Zeus Agrotech.


PREVISÃO CLIMÁTICA DA ZEUS AGROTECH


PRIMAVERA COM CHUVAS FREQUENTES PARA IMPORTANTES REGIÕES PRODUTORAS


A seguir são apresentados os mapas da média de precipitação (ou climatologia) e a previsão de clima da Zeus para os próximos meses, na forma de desvio da precipitação em relação ao que é esperado para cada mês. Mais detalhes em relação aos valores das médias e dos desvios estão disponíveis na sua plataforma Zeus.


PREVISÃO DE CLIMA DA ZEUS AGROTECH - TENDÊNCIA DA PRECIPITAÇÃO PARA OS PRÓXIMOS 3 MESES


NOVEMBRO/22


Para novembro deste ano, os efeitos do fenômeno La Niña devem ficar ainda mais evidentes sobre o Centro-Sul do Brasil, o que pode ocasionar irregularidades nas chuvas, principalmente para importantes regiões produtoras de SP, MS, PR, SC e RS, como pode ser observado nas áreas em amarelo da Figura 5. O fenômeno La Niña também favorece chuvas mais frequentes na metade norte do país, como observamos na figura 5 nas regiões em azul. Um mês de novembro mais chuvoso, pode favorecer o desenvolvimento da safra em importantes regiões produtoras. Também devemos esperar um mês bastante chuvoso e com volumes que podem ficar bem acima da média em áreas do norte de MG e no oeste Baiano. Para uma pequena faixa da região central do Brasil, nas áreas em verde, o mês de novembro deve contar com chuvas dentro da normalidade, o que já é um indicativo para chuvas frequentes.


Fig.4: Previsão Zeus para novembro/22, com o desvio da precipitação em relação ao que é normal para o mês.
Fig. 3: Média de precipitação, segundo informações do CHIRPS (estimativa de chuva por satélite), para o mês de novembro.















DEZEMBRO/22


Dezembro apresenta um padrão ligeiramente diferente do mês anterior. Nossa previsão continua indicando uma certa irregularidade das chuvas em parte do centro sul do Brasil, como podemos observar nas áreas em amarelo da figura 7. Porém, sobre algumas áreas da região Sul, como interior do Paraná e SC, devemos contar com a volta das chuvas significativas e dentro da média. A expectativa é para chuvas dentro da normalidade também em grande parte das regiões produtoras do interior do Brasil, como observamos nas áreas em verde da figura 7. Já para áreas do interior da Fronteira agrícola do Matopiba, norte de GO e MG, assim como foi em novembro, dezembro deve contar com chuvas frequentes na região, como é mostrado pelas áreas em azul, que indicam chuvas acima da média.


Fig. 5: Média de precipitação, segundo informações do CHIRPS (estimativa de chuva por satélite), para o mês de dezembro.
Fig. 6: Previsão Zeus para dezembro/22, com o desvio da precipitação em relação ao que é normal para o mês.















JANEIRO/23


Para janeiro do próximo ano, nossas previsões indicam um padrão parecido com os meses anteriores, com chuvas acima da média em áreas ao norte do Brasil, conforme podemos conferir nas áreas em tons de azul da figura 9. Tem expectativa para chuvas mais frequentes e volumosas ainda sobre uma faixa no norte de SP e sul de MG. Para a região Sul, a expectativa pra chuvas mais irregulares e abaixo da média ainda persiste ao longo de janeiro, conforme observamos nas áreas em amarelo, entre o RS, SC, PR e extremo sul de MS. Enquanto isso, na maior parte do interior do Brasil, nas áreas em verde na figura 9, janeiro deve contar com chuvas dentro da normalidade, o que indica chuvas mais regulares ao longo do mês


Fig. 7: Média de precipitação, segundo informações do CHIRPS (estimativa de chuva por satélite), para o mês de janeiro.
Fig. 8: Previsão Zeus para janeiro/23 com o desvio da precipitação em relação ao que é normal para o mês.



TENDÊNCIA DE TEMPERATURA PARA OS PRÓXIMOS 3 MESES


Os mapas a seguir apresentam a maior temperatura máxima que podemos esperar ao longo dos próximos três meses.


TEMPERATURA MÁXIMA


Para novembro, as temperaturas esperadas ainda devem ficar mais elevadas, como é observado nas áreas em tons mais avermelhados. Neste mês, normalmente já chove de forma significativa sobre grande parte do Brasil, e por conta disso, em alguns pontos do interior do Matopiba, as temperaturas devem ficar ligeiramente mais baixas, como mostram as áreas em tons de amarelo. Já para as áreas onde tem expectativa para uma irregularidade das chuvas em novembro, as temperaturas devem ficar bem mais elevadas no período, como vemos em alguns pontos em tons de laranja mais escuro de SP e MS, por exemplo. Na região Sul as temperaturas ainda não sobem muito e ficam amenas ao longo de novembro.


Dezembro já costuma ser um dos meses mais chuvosos no interior do Brasil e o mês de início do verão, e essa condição também impacta nas temperaturas. No centro e norte do Brasil, as temperaturas máximas não atingem valores extremos, pois em dezembro a chuva já costuma ocorrer de maneira uniforme nestas áreas. As temperaturas começam a ser mais elevadas sobre a Região Sul, especialmente devido a irregularidade das chuvas que são esperadas na região ao longo do mês.


Com o verão já estabelecido, as temperaturas tendem a ser mais elevadas no mês de janeiro, figura 12, a atmosfera já possui características mais quentes e, no entanto, nossa previsão indica um condição para chuvas frequentes em algumas areas do interior do Brasil, o que contribui para temperaturas mais amenas. As temperaturas tendem a ficar mais altas em algumas partes da região norte do País e em alguns pontos do centro sul.

Fig. 10. Previsão da temperatura máxima: (a)novembro/22 (b) dezembro/22 e (c) janeiro/23.



BAIXE AGORA A VERSÃO COMPLETA EM PDF DO BOLETIM
ZEUS AGROTECH DE OUTUBRO/22

[PDF]-BOLETIM-ZEUS AGROTECH [OUT]
.pdf
Download PDF • 37.79MB

CONFIRA TAMBÉM O ANÁLISE ZEUS





EQUIPE ZEUS


meteorologista:

BRUNA PERON | bruna.peron@zeusagro.com


analistas de relacionamento agronômico:

ANDRESSA GREGÓRIO | andressa.gregorio@zeusagro.com

LAURA ALVES BARBOSA | laura.barbosa@zeusagro.com

RAQUEL LOPES DE ANDRADE | raquel.andrade@zeusagro.com


engenheiro agrônomo:

CARLOS SILVA NETO | carlos.neto@zeusagro.com


especialista de CS

MARCIA MEDEIROS | marcia.medeiros@zeusagro.com

marketing e comunicação:

FELIPE ARAUJO | felipe.araujo@zeusagro.com

276 visualizações